fbpx

Me identifiquei com o curso porque gosto muito de cozinhar e de aprender coisas ligadas à alimentação saudável.

Sou Daisy, instrumentadora cirúrgica e trabalho em um hospital em Campos dos Goytacazes(RJ), moro em Santa Maria Madalena, uma cidadezinha na serra, interior do Rio.

Gosto muito de cozinhar e de aprender coisas ligadas à alimentação saudável. Minha relação com pão é antiga. Minha mãe sempre fez nossos pães em casa, mas a vida passa e nos afastamos dessas coisas.

Sempre que viajava ficava caçando um lugar que tivesse pão de levain, comprava logo uns três pra congelar e quando acabava era aquela tristeza. Sabe quando você pensa muito em alguma coisa e parece que seu celular capta seus pensamentos?

De repente, toda hora, no meio das minhas pesquisas, aparecia a carinha da Nanda falando do melhor pão do mundo; o pão que você faz em casa. Era exatamente o pão que eu e meu Nego tanto gostávamos. Não deu outra, Nanda na veia. Claro que até conseguir realmente entrar no curso foi outra história. Enfim, sonho realizado.

Temos sempre em casa o melhor pão do mundo. O nosso pão. Se tornar aluna do “Panifique-se” é um investimento que jamais vou me arrepender. Não imaginei que em pouco tempo estaria não só fazendo, não somente pra casa, como vendendo com sucesso.

Me sinto útil e produtiva. Fazer seu próprio pão é uma satisfação, um prazer, ainda mais quando aprendemos junto com a construção do alimento o quanto de benefícios estamos agregando a nossa saúde.

Se aprende tantas coisas no “Panifique-se” que esse pão é um pedacinho de tudo, mas eu diria que é ouro em forma de pão. Não sei se esse  texto será publicado. Se não for, tudo bem, porque já sou feliz de estar dentro dessa família. Só tenho a agradecer.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: