fbpx

Com o seu método e orientação, estou conseguindo fazer “O melhor Pão do Mundo”.

Sou a Cristina Antoniazzi, professora aposentada e moradora de Valinhos-SP. Gosto muito de cozinhar, mas nunca me imaginei fazendo pães, pois minha mãe, meu modelo na cozinha, nunca foi de fazer pães e nem minha sogra, que também cozinhava muito bem. Então pães era algo muito longe da minha realidade, era só os da padaria.

Em março veio a pandemia, nos obrigando a ficar só dentro de casa. O quê fazer? Estava acostumada a ter uma vida cheia de atividades, e de repente… só dentro de casa. Precisava preencher o vazio dentro de mim, mas não sabia como.

Foi quando uma amiga quis me dar uma cultura do levain, mas não aceitei, dizia que isso não era para mim.

Ela insistiu… Insistiu… Insistiu e acabei aceitando. Me perdi com a manutenção do levain, o fazer pão foi uma loucura, pois ficava até tarde da noite, além de fazer muitas e muitas dobras para chegar num pão que nem merece comentários. Afinal eu não tinha método nem orientação para fazer pães.

Estava desistindo, quando a Nanda Benitez apareceu na minha vida através do FERVE.

Logo de início senti uma afinidade muito grande com ela. Gosto do seu jeito direto de falar, do seu jeito de ensinar, do seu jeito de levar os alunos a pensarem e não a dar respostas prontas, gosto da sua alegria, das suas sacadas, gosto quando ela fala “é assim, aceita que doí menos”. Pensei “ela é a cara” conhece muito sobre pães e sobre o ser humano.

Com esse seu jeitinho, a Nanda me instigou a querer aprender a fazer pão, mesmo sem ter noção nenhuma de como se faz isso. Mas, ela tem MÉTODO E ORIENTAÇÃO e assim estou aprendendo a fazer o MELHOR PÃO DO MUNDO que é igual a TEMPO, TEMPERATURA e PACIÊNCIA!

O que falar da experiência maravilhosa que foi descobrir a paixão por fazer pães?!

É uma alegria, um prazer, uma satisfação cada vez que um pão com fermento natural sai do forno, é como ver o nascimento de um filho. Sem contar que todos aqui em casa já esperam e pedem os pães, até minha filha que mora em SP conta com eles.

Fazer parte da Família Panifiquese, é assim que me sinto na comunidade, é sensacional, pois sempre tem uma pessoa para nos ajudar nas nossas dúvidas, independente do horário, porque a família é formada por pessoas de várias partes do mundo.

O aprender sempre em cada fornada é o meu desafio e com isso estou aprimorando minha paciência, minha persistência, minha organização e assim digo “Adeus Padaria”.

E você gosta de desafios? Então venha fazer parte dessa grande FAMÍLIA PANIFIQUESE, não vai se arrepender!

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: